Projeto de casa de madeira visa dar uso a estoques apreendidos pelo Ibama

Fotos: Serviço Florestal Brasileiro – Laboratório de Produtos Florestais

Um projeto desenvolvido pelo Laboratório de Produtos Florestais (LPF) do Serviço Florestal Brasileiro (SFB) visa dar destinação social às madeiras apreendidas nos programas e operações de fiscalização do IBAMA, disponibilizando parte dessas madeiras já desembargadas pela justiça, para a construção de moradias destinadas à população de baixa renda na Amazônia.

O desenvolvimento do projeto “Habitação Popular em Madeira”, também denominado de “Minha Casa de Madeira”, iniciou em 2001, quando o LPF ainda era vinculado ao IBAMA. As principais justificativas para o projeto foram:

  • Vocação florestal do Brasil, tendo mais de 50% do território coberto por florestas, sendo o segundo maior país do mundo em cobertura florestal
  • Múltiplas possibilidades de uso dos recursos florestais
  • Utilização de madeira na construção civil aumenta o ciclo de vida do produto florestal, estocando por mais tempo o carbono retirado da atmosfera
  • Existência de déficit habitacional no país
  • Expressivo consumo de energia e materiais para construção de casas de alvenaria tradicionais
  • Existência de estoques expressivos de madeira apreendida pelo IBAMA que podem ser destinados para fins sociais
  • Experiências anteriores bem sucedidas de construções de madeira funcionais com ótimos resultados

O projeto padrão desenvolvido pela equipe do LPF tem 55 m² e consome 7 m³ de madeira serrada beneficiada. Utiliza o conceito básico de pré-fabricação, com uso de painéis, apresentando ganho em escala e economia na construção. O processo construtivo é simples, e o sistema estrutural e construtivo é flexível. As moradias ainda podem ser adaptadas para as diferentes regiões do país, aplicando soluções específicas de conforto ambiental.

Fotos: Serviço Florestal Brasileiro – Laboratório de Produtos Florestais

Fonte: Serviço Florestal Brasileiro – Laboratório de Produtos Florestais